“Em nome da segurança aceitamos de bom grado a colocação de câmaras de vídeo
em nossas casas e escritórios permitindo que a nossa privacidade seja violada
e ainda pagamos para isso!”

A segurança que é hoje fortemente divulgada, apela à instalação de sistemas de video vigilância para que nos sintamos mais seguros e confortáveis “visionando e gravando tudo”.
Ao seu alcance, as empresas certificadas para visualizarem estas imagens, passam a ter ao seu alcance imagens de teor privado e em alguns casos até comprometedoras que se utilizadas indevidamente podem causar sérios danos às pessoas filmadas, algo que já aconteceu.

Daí a pergunta?

Deve a gestão da segurança dos nossos locais; habitações, escritórios, fábricas, edifícios, etc. ser efectuada com recurso a sistemas de video vigilância? Quando existem soluções menos intrusivas e seguramente tão ou mais eficazes que a captação e gravação de imagens!
Com isto, quero dizer que a segurança de um local pode, comparativamente com a video vigilância, ser efectuada com recurso a Sistemas Inteligentes de Segurança que, além de analisarem o local de instalação, tomam decisões e não são intrusivos, fazendo o que tem a fazer em termos de segurança sem filmarem o local!

Estes sistemas são capazes de perceberem o que é normal e o que não é normal porque utilizam algoritmos de “aprendizagem” que lhes permitem perceber o que é de uso frequente e repetitivo e o que é normal ou anómalo.

Essa capacidade de análise em tempo real é complementada com a capacidade de tomada de decisão adequada a cada caso, podendo ligar a iluminação, uma sirene, alguns equipamentos preparados para o efeito e ou que enviem avisos por email, alertas por SMS ou para uma APP ou mesmo que efectuem um telefonema se a emergência assim o determinar.
Os “Smart Secure Solution” incorporam ainda regras funcionais adequadas a cada local sem necessidade de recorrer a técnicos especializados ou empresas para o efeito.

Os algoritmos embebidos permitem, além de analisarem as informações recebidas, guardar toda a actividade para posterior análise caso necessário, para isso e para avisarem quase instantaneamente os responsáveis ou proprietários do local, analisam a informação obtida que, por um lado lhes permite aprender como o local é utilizado criando parâmetros que mais tarde servirão para outro tipo de análise nomeadamente comparando a informação obtida com outra existente homóloga ou homóloga anterior e caso os valores encontrados sejam díspares, ou diferentes dos expectáveis, tomam a decisão de fazer algo e se essas diferenças se mantiverem mudam para um estado de alerta no qual as variáveis de análise passam a ser ainda mais precisas e como tal reagindo ainda mais rapidamente.

Estes SSS Incorporam ainda metodologias automáticas de pesquisa que permitem procurar variações, tendências, padrões, enfim tudo o que seja considerado anómalo, avisando o gestor do edifício sem necessidade de qualquer intervenção humana.
A plataforma inteligente de iluminação e de uso racional de equipamentos, ILS desenvolvida pela IsGreen, participada da SST, inclui um layer de conforto e segurança que funciona segundo este princípio, salvaguardando a privacidade de forma autónoma e automática.